A partir de agosto de 2019, se inicia, na Casa do Benin uma série de atividades que integram o projeto Fluxos: Acervos do Atlântico Sul. A programação compreende oficinas, seminários e exposições para o desenvolvimento de projetos artísticos em diálogo com os acervos do Museu Afro-brasileiro da Universidade Federal da Bahia – MAFRO/UFBA e a Casa do Benin; o primeiro reúne um acervo fruto de deslocamentos de Pierre Verger entre países Africanos e o Brasil, e o segundo, cujo acervo foi constituído por Pierre Verger e o projeto originário possui a intenção de reatar relações diplomáticas e promover trocas horizontais e recíprocas entre o Benin e o Brasil.

Os projetos artísticos foram selecionados a partir de uma chamada pública realizada no mês de junho e reúne sete propostas, com as mais diversas abordagens sobre as narrativas que orientam a formação dos acervos dos respectivos centros culturais. Os selecionados são: Adriano Machado, a dupla Aislane Nobre e Pedro Silveira, Isabela Seifarth, a dupla Lucas Feres e Lucas Lago, Luisa Magaly, Marcos Rocha Sá e Mário Vasconcelos.

A iniciativa conta com a participação de artistas e curadores, que são facilitadores dos processos artísticos, e convidados de várias instituições: a curadora e professora Alejandra Hernandez Muñoz, da Escola de Belas Artes da UFBA; a artista visual e professora Ines Linke, da Escola de Belas Artes da UFBA, que integra o grupo Urbanidades e o coletivo Thislandyourland; a artista visual Lia Krucken, que é professora visitante do Programa de Pós-graduação em Artes Visuais – PPGAV/UFBA e integra o coletivo Insurgencias, de Berlim; Marcelo Cunha, museólogo e diretor do MAFRO/UFBA, com pesquisas sobre o Patrimônio Africano e Afro-Brasileiro; o artista e antropólogo moçambicano Nyimpini Khosa, pesquisador junto à Universidade do Estado do Rio de Janeiro; o artista visual e curador Tiago Santana, cujo trabalho evidencia tensões e representações das identidades afro-brasileiras; e o curador e pesquisador Uriel Bezerra, que transita pelos temas arte, história e memória; arte/poder.

Fluxos: Acervos do Atlântico Sul é organizado pelo Intervalo – fórum de artes, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade Federal da Bahia; que propõe atividades para discutir e (re)pensar perspectivas para o campo das artes refletindo sobre transformações, compartilhando experiências, revendo questões e prioridades  pertinentes ao contexto artístico local.

a


Ficha técnica

Idealização:
Ines Linke e Uriel Bezerra

Coordenação do projeto:
Ines Linke, Lia Krucken e Uriel Bezerra

Identidade visual:
Dinha Ferrero

Assessoria de imprensa:
Gil Maciel

Agradecimento:
Luciana Moniz


Realização

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora